Páginas

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

25 de Outubro: Santo Antônio de Sant'Ana Galvão

Para ler sobre Santo Antônio de Sant'Ana Galvão, clique aqui.






Deus, Pai de Misericórdia, que fizestes de Santo Antônio de Sant'Ana Galvão um instrumento de caridade e de paz no meio dos irmãos, concedei-nos por sua intercessão, favorecer sempre a verdadeira concórdia. Por Nosso Senhor, Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.

~ Post partum Virgo inviolata permansisti: Dei Genitrix intercede pro nobis ~

terça-feira, 16 de outubro de 2012

16 de Outubro: Santa Margarida Maria Alacoque

Para ler sobre Santa Margarida, clique aqui.


 Consagração das Famílias ao Sagrado Coração de Jesus

Sagrado Coração de Jesus, que manifestastes a Santa Margarida Maria o desejo de reinar sobre as famílias cristãs, nós vimos hoje proclamar vossa realeza absoluta sobre nossa família.
Queremos, de agora em diante, viver a vossa vida, queremos que floresçam, em nosso meio, as virtudes às quais prometestes, já neste mundo, a paz.
Queremos banir para longe de nós o espírito mundano que amaldiçoastes.
Vós reinareis em nossas inteligências pela simplicidade de nossa fé; em nossos corações pelo amor sem reservas de que estamos abrasados para convosco, e cuja chama entreteremos pela recepção frequente de vossa divina Eucaristia.
Dignai-Vos, Coração divino, presidir as nossas reuniões, abençoar as nossas empresas espirituais e temporais, afastar de nós as aflições, santificar as nossas alegrias, aliviar as nossas penas.
Se, alguma vez, algum de nós tiver a infelicidade de Vos ofender, lembrai-Vos, ó Coração de Jesus, que sois bom e misericordioso para com o pecador arrependido.
E quando soar a hora da separação, nós todos, os que partem e os que ficam, seremos submissos aos vossos eternos desígnios. Consolar-nos-emos com o pensamento de que há de vir um dia em que toda a família, reunida do Céu, poderá cantar para sempre a vossa glória e os vossos benefícios.
Digne-se o Coração Imaculado de Maria, digne-se o glorioso Patriarca São José apresentar-Vos esta consagração e no-la lembrar todos os dias de nossa vida. Viva o Coração de Jesus, nosso Rei e nosso Pai.

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

15 de Outubro: Santa Teresa d'Ávila

Para ler sobre Santa Teresa d'Ávila, clique aqui.


Oração a Santa Teresa d'Ávila

Ó Santa Teresa de Jesus, vós sois a mestra da genuína oração e nos ensinais a rezar conversando com Deus Pai, Filho e Espírito Santo. Ó Santa Teresa, ajudai-nos a rezar com fé e confiança, sem nunca duvidar da bondade divina. Ajudai-nos a rezar com inteira conformidade de nossa vontade com a vontade de Deus, com insistente perseverança até alcançarmos aquilo que necessitamos. Amém.

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

12 de Outubro: Nossa Senhora Aparecida

Para ler sobre Nossa Senhora Aparecida, clique aqui.


Oração a Nossa Senhora Aparecida

Ó incomparável Senhora da Conceição Aparecida,
Mãe de Deus, Rainha dos Anjos,
Advogada dos pecadores,
refúgio e consolação dos aflitos e atribulados,
Virgem Santíssima,
cheia de poder e de bondade,
lançai sobre nós um olhar favorável,
para que sejamos socorridos por vós,
em todas as necessidades em que nos acharmos.
Lembrai-vos, ó clementíssima Mãe Aparecida,
que nunca se ouviu dizer
que algum daqueles que têm a vós recorrido,
invocado vosso santíssimo nome
e implorado a vossa singular proteção,
fosse por vós abandonado.
Animados com esta confiança,
a vós recorremos.
Tomamo-vos para sempre por nossa Mãe,
nossa protetora, consolação e guia,
esperança e luz na hora da morte.
Livrai-nos de tudo o que possa ofender-vos
e ao vosso Santíssimo Filho, Jesus.
Preservai-nos de todos os perigos
da alma e do corpo;
dirigi-nos em todos os assuntos espirituais e temporais.
Livrai-nos da tentação do demônio,
para que, trilhando o caminho da virtude,
possamos um dia ver-vos e amar-vos
na eterna glória, por todos os séculos dos séculos. Amém.

domingo, 7 de outubro de 2012

O aborto e o mundo da utilidade

De um marxista homossexual saíram palavras bastante perspicazes sobre o problema do aborto. Em entrevista para o periódico italiano Corriere della Sera, publicada em janeiro de 1975, o cineasta, poeta e professor italiano Pier Paolo Pasolini (1922/1975) afirmou: "A propósito do aborto, é o primeiro e único caso em que os radicais e todos os abortistas democráticos mais puros e rigorosos fazem apelo à realpolitik, e assim recorrem à distorção cínica dos fatos e do bom senso. Reduzem-no a um caso de pura praticidade. Mas isto (como eles bem sabem) é sempre condenável."

Aqui no Brasil de 2012, algumas “práticas” como o aborto de anencéfalos já foram aprovadas e isto é terrível. Infelizmente, a vida humana – e a própria política, por consequência – tem perdido a noção de “bem comum”, voltando-se de forma suicida para a “utilidade comum”. Pode ser “útil” para essa sociedade descartar uma vida humana que não dure tanto tempo, afinal uma criança com má formação cerebral pode fazer sofrer a sua família e quem gostaria de algo tão inútil e, neste caso, gratuito como o sofrimento? É preciso ter o espírito livre para acolher uma criança inútil. Porém, como o mundo contemporâneo não educa os seus filhos para o gênio da gratuidade (quem quer perder tempo com coisas que não podem ser instrumentalizadas?), qualquer discurso contrário à prática do aborto terá, para esses homens práticos, um dispensável sabor metafísico. O debate público rechaça violentamente qualquer apelo para a transcendência, ou para, utilizarmos os termos críticos de nosso querido Josef Pieper, aquilo que escapa ao “mundo do trabalho” ou da “utilidade comum”. Então, partindo-se desse dado, os religiosos serão, como prevê o Evangelho de São Mateus, despedaçados pelos porcos da opinião pública se lançarem mão de suas pérolas (Mt 7,6).

A primeira liberdade de existir é de uma dignidade que ninguém pode violar. Isto é elementar para qualquer um que compreenda as consequências realistas das antigas filosofias primeiras (hoje superadas a fórceps pelo cientificismo prático). Porém, se o realismo primeiro que torna o aborto um ato gravíssimo não pode mais ser aceito pela nossa vida pública forjada pelos interesses do Estado e do Mercado, que seja então admitido pela realidade secundária da materialidade do corpo.

Naquela mesma entrevista, Pasolini dizia: "Nos sonhos e no comportamento cotidiano, eu vivo a minha vida pré-natal. Minha feliz imersão no ventre materno indica: eu era um existente". A declaração é poética, e desvela a verdade de um corpo que, definitivamente, não é o da mãe. Por outro lado, uma declaração científica tornaria correta a existência de informações genéticas singulares naquele indivíduo que é o feto. Desse modo, a retirada forçosa de um existente do ventre materno é um ato tão constrangedor, que até mesmo os mais fervorosos defensores da validade jurídica dessa prática admitem coisas como "ninguém é a favor do aborto, mas do direito a ele".

Isso parece ser o reconhecimento não admitido de que o aborto medicamente causado é, em todos os sentidos, uma violação. Ainda que se dê crédito à ideia de que não se pode afirmar seguramente quando uma vida humana começa, o mero fato da dúvida indica um risco supremo: retirar um feto pode significar o assassínio de um ser humano. Se há o risco do crime, não seria mais prudente não cometê-lo? Vejamos aí como a prudentia concebida por S. Tomás de Aquino, ou ainda mais amplamente, a sua filosofia negativa, pode nos ensinar muito mais sobre os mistérios da existência do que uma política que quer dar solução para tudo, ou de um arrogante cientificismo que tem todas as respostas para o mundo.

Em todos os casos, o direito ao aborto é defendido pelo apelo ao pragmatismo político. "Uma vez que muitas mulheres cometerão o aborto, a forma mais segura de evitar desastres hospitalares, comprovados estatisticamente, é por meio da legalização da prática", dizem aqueles que, para qualquer outro assunto, como a necessidade de uma guerra ou de uma política econômica impopular, poderiam muito bem criticar os fundamentos da realpolitik, conforme comentava Pasolini.

De fato, a realpolitik é sedutora e, muitas vezes, penosa de ser intelectualmente combatida. No diálogo "A República", de Platão, Sócrates passa por constrangimentos quando debate com Trasímaco, aquele sofista bruto, mas conhecedor esperto da psicologia humana. Trasímaco define a justiça como interesse do mais forte, isto é, de quem governa. É uma definição realista, porque o ser humano tende a buscar o que é mais vantajoso para si. Porém o pragmatismo político só faz pleno sentido, num contexto ironicamente bem pouco realista, quando as relações de poder arruínam a possibilidade de qualquer escolha moralmente fundamentada. Via de regra, a realpolitik é teoricamente constrangedora, como aquela recente foto em que Maluf demonstra apoio ao candidato de Lula à prefeitura de São Paulo.
Defender o direito ao aborto é defender o risco pela imoralidade do ato. Deverá reconhecer até mesmo o incrédulo que a retirada do feto pode ser um atentado à vida, porque um dos primeiros pressupostos do debate público, tal como ele está organizado no âmbito da laicidade, é que não é possível afirmar onde a existência humana começa. Em última instância, se o defensor do direito ao aborto não se posicionar simpaticamente à ideia de que nenhuma violação seja punida, me parece haver uma contradição de consciência. Só alguém que defendesse plenamente a inimputabilidade criminal para qualquer tipo de ato poderia ser favorável, com clareza de consciência, ao direito de alguém abortar. Trata-se aí de uma perspectiva que nega a civilização, mas esse é justamente o ponto de partida de um temor que qualquer pessoa pode ter: católico, ateu ou feminista. Se existe a hipótese de não respeitar a liberdade de um vivente de, simplesmente, viver, os fundamentos que nos garantem qualquer legislação podem se tornar “hipótese”.

Afinal, o que é o "bem comum" e a "liberdade"?  Vou terminar este texto com essas perguntas e, também, com uma acolhida a todas as pessoas que já provocaram um aborto. No fim das contas, nenhum de nós, homens ordinários, é Deus para fazer o juízo final de uma mulher que opta pelo aborto, mas reconheçamos que qualquer decisão humana tomada à espreita das luzes da razão leva o indivíduo à angústia das sombras. Respeitar profundamente a consciência é, antes de tudo, um apelo da condição humana e podemos voltar a ela em todos os momentos, mesmo no fim de uma vida repleta de escolhas infelizes. Isso é o que deve ser entendido como questão de foro íntimo: o comprometimento com aquilo que é verdadeiro. Se nos colocarmos cinicamente, ou até mesmo ceticamente, contrários à ideia de que existe sempre uma coisa certa a ser feita, a única estratégia de vida que parece restar é a realpolitik, ou seja, buscar no mundo do cálculo e das estatísticas aquilo que parece mais vantajoso, nem que seja aliar a alguém ou a algum programa que as luzes da nossa intimidade repudiam. Nesse sentido, talvez, não precisemos esperar por um outro mundo possível e, sim, resgatar aquele que trocamos por alguma comodidade arbitrária. Quando falamos em "prática do aborto", talvez a palavra mais feia nesse contexto seja "prática". Tenhamos, portanto, a disposição livre para viver nesse mundo que já nos é dado gratuitamente, onde as mulheres dão à luz e a seriedade poética dos pequeninos não revela nenhuma sabedoria dos homens.

07 de Outubro: Nossa Senhora do Rosário

Para ler sobre Nossa Senhora do Rosário, clique aqui.


Oração a Nossa Senhora do Rosário

Nossa Senhora do Rosário,
dai a todos os cristãos a graça
de compreender a grandiosidade
da devoção do santo rosário,
na qual, à recitação da Ave Maria
se junta a profunda meditação
dos santos mistérios da vida,
morte e ressurreição de Jesus,
vosso Filho e nosso Redentor.

São Domingos, apóstolo do rosário,
acompanhai-nos com a vossa bênção,
na recitação do terço, para que,
por meio desta devoção a Maria,
cheguemos mais depressa a Jesus,
e como na batalha de Lepanto,
Nossa Senhora do Rosário nos leve a vitória
em todas as lutas da vida;
por seu Filho, Jesus Cristo,
na unidade do Pai e do Espírito Santo.
Amém.

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

05 de Outubro: Santa Faustina Kowalska

Para ler sobre Santa Faustina, clique aqui.


Oração de Santa Faustina

Ó Jesus, eu entendo que Sua misericórdia é maior que tudo imaginável. Eu te peço, portanto, para fazer o meu coração tão grande que haverá espaço nele para as necessidades de todas as almas que vivem neste mundo todo terreno.
Ó Jesus, meu amor vai além do mundo para as almas que sofrem no Purgatório, e eu quero exercer misericórdia para com elas por meio de orações indulgenciadas.
A Misericórdia de Deus é insondável e inesgotável, assim como o próprio Deus é insondável. Se eu usasse as palavras mais fortes para expressar esta misericórdia de Deus, elas não seriam nada em comparação com o que é na realidade.
Ó Jesus, faça meu coração sensível a todos os sofrimentos do meu próximo, sejam eles do corpo ou da alma. Ó meu Jesus, eu sei que você age em relação a nós como agimos em direção ao nosso próximo.
Meu Jesus, fazei meu coração semelhante ao Vosso Coração Misericordioso.
Jesus, ajuda-me a passar a vida fazendo o bem a todos.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

01 de Outubro: Santa Teresinha!

Para ler sobre Santa Teresinha, clique aqui.


Ó Deus, nosso Pai, Santa Teresinha mostrou-nos que a verdadeira grandeza é sermos contados entre os vossos filhos e filhas. Dai-nos humildade para reconhecer a verdade em nossa vida e todas as maravilhas que realizais por meio de nós. Dai-nos também um coração simples como o das crianças para corrigirmos nossos erros e uma grande abertura de coração para perdoarmos àqueles que nos ofenderam. E quando os sofrimentos e as contrariedades da vida se abaterem sobre nós, dai-nos, Senhor, a coragem de Santa Teresinha. Ó Deus, ouvi as nossas preces e a graça que hoje vos pedimos (fazer o pedido). Que, a exemplo desta querida santa, sejamos luz e vida para os nossos irmãos. Amém!